Plantão
Sul de Minas

PCMG prende suspeito de aplicar golpe em Poços de Caldas

Publicado dia 30/07/2020 às 12h58min | Atualizado dia 30/07/2020 às 13h05min
O investigado foi autuado por estelionato e encaminhado ao Sistema Prisional.

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) prendeu em flagrante, na tarde desta quarta-feira (29), um homem, de 20 anos, suspeito de aplicar o “golpe do motoboy” em Poços de Caldas, Sul do estado. Os policiais civis chegaram no momento em que o investigado estava na casa da vítima para recolher o cartão. Já no quarto do hotel onde ele estava hospedado, a equipe apreendeu cinco máquinas utilizadas para a prática do crime.

 

Nesse tipo de golpe, os estelionatários se passam por funcionários de lojas e de agências bancárias em que a vítima possui conta. No caso específico, conforme apurado, um suposto colaborador comunicou que o cartão havia sido recusado em determinado estabelecimento. Do outro lado da linha, a pessoa já negou qualquer compra. O golpista, então, indicou a possibilidade de clonagem, orientando o bloqueio.

 

Ao detalhar os procedimentos para bloquear o cartão, a vítima foi convencida a informar alguns dados, incluindo a senha. Além disso, foi informada de que uma pessoa ligada ao banco iria até a casa dela para recolher o cartão, a fim de concluir o procedimento de bloqueio e resolver a situação. No entanto, nesses casos, a intenção dos criminosos é fazer uso indevido do cartão, causando prejuízos ao real titular da conta bancária.

 

Durante depoimento à polícia, o suspeito, que possui residência em Brasilândia, no estado de São Paulo, confessou a autoria e informou que esse seria o primeiro golpe. Ainda segundo ele, ganharia a quantia de R$ 500 por cartão que conseguisse passar nas máquinas. Após a formalização da autuação em flagrante por estelionato, o investigado foi encaminhado ao Sistema Prisional.

 

Alerta

 

A PCMG orienta ao cidadão não repassar nenhuma informação referente a dados de acesso a cartões bancários por telefone. Após recebimento de ligação desse tipo, consulte seu gerente sobre alguma irregularidade. Nenhum banco pede o cartão de volta ou oferece para buscá-lo em casa. Quando precisar destruir seu cartão, corte em várias partes e não deixe o chip inteiro.

 

Fonte: ASCOM-PCMG