Plantão
Minas Gerais

Sul volta para onda vermelha e agora são dez as regiões na fase mais restritiva do Minas Consciente

Publicado dia 06/01/2021 às 19h31min
Já a macrorregião Noroeste avança para a onda verde do plano do governo para retomada da economia de forma segura

O Comitê Extraordinário Covid-19 definiu, nesta quarta-feira (6/1), que a macrorregião Sul retornará para a onda vermelha, fase que permite o funcionamento, de portas abertas, de apenas serviços essenciais, como bancos, farmácias, padarias e supermercados. Segundo os dados apresentados pelo grupo, houve crescimento de 9% na taxa de incidência da doença em todo o estado nos últimos sete dias.

Já a região Noroeste avançará para a onda verde do Minas Consciente, plano criado pelo Governo de Minas para retomada da economia de forma gradual e segura. Nesta etapa está autorizado o funcionamento dos serviços não essenciais com maior risco de contágio, como cinemas e bares com música ao vivo.

Com a nova determinação, 10 das 14 macrorregiões do estado (Centro, Oeste, Jequitinhonha, Leste, ​Leste do Sul, Nordeste, Vale do Aço, Sudeste, Centro-Sul e Sul) estão na onda vermelha, a mais restritiva do Minas Consciente. As regiões Norte e Triângulo Norte estão na amarela. Já Noroeste e Triângulo Sul ficam na verde.

O vice-governador Paulo Brant pediu cautela para a população neste momento em que os números estão mais alarmantes. “Peço à população que permaneça em casa, se possível, e continue adotando todos os cuidados, como o uso de máscaras e higienização das mãos”, alertou.

As regiões Centro, Oeste, Jequitinhonha, Leste, ​Leste do Sul, Nordeste, Vale do Aço, Sudeste, Centro-Sul e Sul estão na onda vermelha, a mais restritiva do Minas Consciente, em que somente os serviços considerados essenciais são permitidos de portas abertas, como:

 

- Supermercados, padarias, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência;

 

- Bares (somente para delivery ou retirada no balcão);

 

- Açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros;

 

- Serviços de ambulantes de alimentação;

 

- Farmácias, drogarias, lojas de cosméticos, lavanderias, pet shop;

 

- Bancos, casas lotéricas, cooperativas de crédito;

 

- Vigilância e segurança privada;

 

- Serviços de reparo e manutenção;

 

- Lojas de informática e aparelhos de comunicação;

 

- Hotéis, motéis, campings, alojamentos e pensões;

 

- Construção civil e obras de infraestrutura;

 

- Comércio de veículos, peças e acessórios automotores.

Fonte: Agência Minas